Calle Hispánica

Um passeio pela cultura em espanhol

Mês: fevereiro 2017

ViajeJet / Reprodução

5 músicas para viajar pelos países que falam espanhol

Melhor que conhecer músicas em espanhol e praticar o idioma é ainda poder literalmente viajar por esse som.

Colômbia, Porto Rico, México ou Cuba? Você escolhe o destino. Então, senhores passageiros, apertem o cinto porque já vamos decolar!

Obs.: Eu DU-VI-DO você ouvir essas músicas e não sentir uma vontade incontrolável de dançar. Por favor, apenas #NãoSeReprima!

Tierra Del Olvido (Carlos Vives)

Lançada em 1995, por Carlos Vives, Tierra Del Olvido ganhou, 20 anos mais tarde, uma nova versão com dois pontos que merecem destaque: Além de mostrar uma visão ainda mais incrível da Colômbia, Carlos Vives também convidou mais 8 artistas da sua terra-natal (Maluma, Fanny Lu, Fonseca, el Cholo Valderrama, Herencia de Timbiquí, Andrea Echeverry y Coral Group) para ajudá-lo nessa missão de reviver o tema.

La Bicicleta – Shakira e Carlos Vives

Ainda na Colômbia, quem segura Shakira e Carlos Vives com uma bicicleta? (Graças a Deus, ninguém!). Pois é assim (em La Bicicleta) que os dois nos levam a um passeio pela Costa caribenha desse país, passando por cidades como Santa Marta e Barranquilla (Afinal de contas, mira en Barranquilla se baila así…”).

Despacito (Luis Fonsi & Daddy Yankee)

O clipe de Despacito, de Luis Fonsi e Daddy Yankee (e com participação da Miss Universo 2006, Zuleyka Rivera) foi lançado no comecinho deste ano. Gravado em San Juan, capital de Porto Rico, teve como cenário a comunidade La Perla e o clube La Factoría, localizados na zona velha da cidade.

(Alerta clipe #Caliente!)

Arriba De Lo Mal Hecho (Charanga Habanera)

O grupo cubano fez do bairro San Leopoldo, em Havana, o cenário da música Arriba De Lo Mal Hecho.

Madre Tierra (Chayanne)

Saindo de Cuba, subimos mais um pouquinho no mapa, até o México. Foi lá, na cidade de Mérida, onde o cantor porto-riquenho Chayanne gravou as cenas do clipe Madre Tierra.

Conhece outras músicas que também viajam por países que falam espanhol? Compartilhe sua sugestão conosco, ali nos comentários!

Y además…
Te dejamos este video en que el cantante Luis Fonsi habla sobre su nueva canción de trabajo, Despacito.

Netflix traz ao Brasil série mexicana ‘Juana Inés’

Imagem: Ciudad Ocio / Reprodução

A Netflix adicionou ao seu catálogo a série mexicana Juana Inés (muchísimas gracias, Netflix!), produzida pelo canal de tv Once e escrita por Patricia Arriaga, Monika Revilla e Javier Peñaloza.

A produção traz a história da freira, filósofa e escritora Juana Inés de Asbaje (mais conhecida como Sor Juana Inés de la Cruz), figura considerada referência do início da literatura mexicana na língua espanhola.

“Qué es más importante ¿Llenar la cabeza de la gente con conocimientos o salvar su alma?”

O contexto dessa frase é a segunda metade do século XVII. Nesta época, a Espanha tinha como reino a região chamada de Nova Espanha, que ia dos estados de Arizona, Califórnia, Colorado, Novo México e Utah, nos Estados Unidos, até a Costa Rica, na América Central.

Em meio a esse cenário, em 12 de novembro de 1648, nasceu Juana Inés, que na série é interpretada por Arantza Ruiz (em sua fase mais jovem) e por Arcelia Ramírez (na segunda fase).

Interessada pelo universo das letras desde muito cedo, Juana aprendeu a ler e escrever aos três anos. Já entre os seis e sete anos, pedia à mãe que a vestisse de menino para que pudesse frequentar a universidade.

Aos 13 esteve na corte e conquistou a confiança e admiração da Vice-Rainha e Marquesa de Mancera, Leonor Carreto.

Vale destacar que durante a época colonial do México, conhecimento e estudo eram privilégios apenas dos homens, pois as mulheres eram qualificadas como (ok, a frase que vem a seguir é incomoda até mesmo para escrever, mas vamos lá!) ‘pouco ou nada inteligentes’. E vemos a representação desse pensamento já no primeiro capítulo da série, quando Juana é informada que não é permita a entrada de mulheres na biblioteca real (proibição que, obviamente, ela conseguiu driblar. Há!).

!Se queman todos!

Labaredas da Inquisição a todo vapor e obras de pensadores como Maquiavel e Copérnico eram lançadas ao fogo (da ‘santa’ ignorância). Justo nessa época, Juana Inés, usou sua notável inteligência para enfrentar as convenções sociais e abrir um espaço favorável ao seu desenvolvimento intelectual.

No entanto, o brilhantismo e habilidade com as palavras apresentados pela jovem também despertaram a ira e inveja de muitos ao se mostrar como uma mulher a frente de seu tempo.

Num mundo de censura, Juana Inés entrou para o convento aos 17 anos, com o objetivo de seguir os estudos. Ousada, desafiou a igreja ao discordar em público de um jesuíta do Império Português, o Padre Vieira.

A série Juana Inés, além de lançar um olhar para o início da literatura mexicana em espanhol, também retrata essa fase da colonização espanhola, período marcado pela intolerância e pela tentativa de anular qualquer traço original da população nativa, como por exemplo, a língua.

Aliás, esse é um ponto interessante ao qual vale dedicar atenção: Em meio a essa convivência entre colonizadores e colonizados reproduzida pela série, é possível perceber as diferenças e peculiaridades no sotaque de espanhóis e mexicanos (¡me gusta!).

A série Juana Inés está disponível no Netflix com áudio original em espanhol e com legenda em português como opção.

Y Además:

Ve el video promocial de la serie Juana Inés

Hecho en México: A visão de um país segundo seu povo

La coctelera / Reprodução

Já vimos o país da Maria do Bairro, da Paola Bracho, do Chaves e de tantos outros personagens ser retratado bem na tela da nossa TV. No entanto, Hecho en México, dirigido por Duncan Bridgeman, nos traz um outro olhar. Ou melhor, nos traz diversidade de olhares. O documentário pinta com riqueza de nuances (e MUITAS cores!) o atual México e o que é ‘ser mexicano’.

Dividido em 8 capítulos (“¿Qué es ahora?”, “Libertad”, “Fronteras”, “¿Quién lleva los pantalones?”, “Resistencia”, “Me gusta mi medicina”, “¿Alma?” y “¿Quién soy?”), Hecho en México percorre caminhos que vão de norte a sul do país, colocando em foco as representações culturais que se mantém vivas e fortalecem a nacionalidade desse povo.

O que vemos cena após cena é uma multiplicidade de rostos que mostram um país que vai muito além de muros, violência e narcotráfico. Essas dificuldades existem sim, mas não anulam, de forma alguma, todas as peculiaridades culturais que fazem do México a nação vibrante que é (Ay, Caramba!).

A trilha sonora do documentário desfila entre gêneros como rock, norteño, cumbia e música eletrônica. Cada um dos temas apresentados entrelaça-se ao assunto em questão, cumprindo o papel de também contar a história.

Nomes como Gloria Trevi, Alejandro Fernandéz, Natalia LaFourcade, Emmanuel del Real, Los Tucanes de Tijuana e Guadalupe Esparza colocam sua voz em cena para ajudar a cantar a complexidade da identidade mexicana.

Além dos artistas conhecidos pelo grande público, a riqueza musical do país também é representada por artistas anônimos que fazem das ruas, o palco onde apresentam sua arte de cada dia.

Cena do Documentário “Hecho En México”

O culto à Virgem de Guadalupe é apresentado como sendo tão forte quanto a própria consciência do “ser mexicano”. O documentário deixa claro que se trata de uma devoção que vai muito além do ato de ajoelhar-se, juntar as mãos e tecer uma prece. É o elevar de olhos, coração e pensamento em direção aquela que protege, abençoa e ilumina.

Em tempos de tensão e incerteza, em que temas como fronteira, limite e divisão vêm tomando conta do noticiário internacional (especialmente após as eleições da Casa Branca), o documentário é uma carona para quem sabe desfrutar de um mergulho em culturas diversas. Hecho en México é, na verdade, uma ótima oportunidade para conhecer a versão deles, sobre eles mesmos.

Obs.: Hecho en México está disponível no Netflix, com áudio original em espanhol e com legenda em português como opção. Corre lá!

Y además… 

Confira a programação completa do Festival Viña del Mar 2017

Rafael Araneda y Carolina de Moras, apresentadores de Viña / Imagem: Cooperativa.cl – Reproducão

 

Festival Internacional de la Canción de Viña del Mar 2017:

Segunda-feira, 20 de fevereiro

Los Fabulosos Cadillacs – A banda argentina abrirá o evento na noite desta segunda-feira, celebrando a estreia no festival e também o novo disco de trabalho,  ‘La Salvación de Solo y Juan’.

Juan Pablo López – O comediante fará sua estreia na Quinta Vergara, abordando temas sociais, políticos e também experiências do cotidiano.

Los Autenticos Decadentes – Grupo argentino de rock alternativo.

Terça-feira, 21 de fevereiro

Sin Bandera – A dupla formada pelo argentino Noel Schajris e pelo mexicano Leonel García, volta a Viña del Mar com o show ‘Una Última Vez’.

Confira um trecho da apresentação da dupla no Festival Viña 2017

Chiqui Aguayo – A comediante e diretora teatral fará sua estreia em Viña, com o stand up ‘Feminismo, relaciones de pareja y cómo es ser mujer en Chile’.

Camila – A banda mexicana trará romantismo à Quinta Vergara apresentando seus maiores sucessos, como ‘Aléjate de mí‘ e ‘Abrázame‘.

Quarta-feira, 22 de fevereiro

Isabel Pantoja – Cantora espanhola que conta com 29 álbuns no currículo cantará algumas das músicas que marcaram sua trajetória.

Mono Sánchez – O humorista colombiano será o terceiro comediante a subir ao palco da Quinta Vergara.

Rio Roma – A dupla, formada pelos irmãos mexicanos José Luis Ortega Castro e Raúl Ortega Castro, estreará no Festival Viña trazendo ao público seus sucessos.

Quinta-feira, 23 de fevereiro

Olivia Newton-John – A estrela de ‘Greese, Nos Tempos da Brilhantina’, se apresentará pela primeira vez no festival e cantará os hists de sua carreira, incluindo algumas músicas que cantou ao lado de John Travolta no filme.

Jajá Calderón – Comediante chileno, foi o último a ser confirmado e se apresentará na noite desta quinta-feira.

Peter Cetera – Cantor norte-americano e ex-vocalista da banda Chicago.

Sexta-feira, 24 de fevereiro

Maluma – Na sexta-feira é a vez do cantor colombiano de reggaeton trazer seu ritmo ao público do festival (¿sí o no? ¡Me parece que super sí!).

Rodrigo Villegas – Comediante chileno.

Américo –  O cantor chileno também se apresenta nesta sexta-feira, dando um ar ainda mais tropical ao festival de música.

Sábado, 25 de fevereiro

J Balvin – A Colômbia marca presença mais uma vez no palco da Quinta Vergara, com o reggaeton e música urbana de J Balvin.

Mon Laferte – A cantora chilena se apresentará pela primeira vez no festival, no sábado.

Fabrizio Copano – O humorista, que estrelou o filme ‘Qué Pena Tu Vida’ (ainda não viu? #TáNoNetflix), marcará presença no festival, apresentando seu stand up.

Lali Espósito – A cantora argentina canta ao público os sucessos do seu álbum Soy.

Confira a apresentação completa de Lali Espósito no Festival Viña 2017

Marama y Rombai – O grupo uruguaio traz sua cumbia pop para Viña del Mar no sábado, dia de encerramento de festival.

 

Viña del Mar 2017: Tem início a edição 58 do Festival

Por falar em cultura hispânica (porque, afinal de contas, só se falará sobre isso por aqui rs), começa nesta segunda-feira (20/02), a edição número 58 do Festival Internacional de la Canción de Viña del Mar.

Realizado anualmente no anfiteatro da Quinta Vergara, no Chile, o festival é um dos maiores da América Latina e reúne nomes que dão voz à cultura musical de vários países.

Por isso, essa é uma ótima oportunidade para conhecer diferentes nomes de destaque da música em espanhol.

Entre os dias 20 e 25 de fevereiro, artistas como J Balvin, Lali Espósito, Sin Bandera, Camila e Maluma se apresentarão na Quinta Vergara.

A edição deste ano contará, ainda, com uma homenagem ao cantor mexicano Juan Gabriel, falecido em agosto de 2016, e com a apresentação da cantora australiana Olivia Newton-John.

Obs.: Se você assistiu à novela Abraça-me Muito Forte e se lembra da música de abertura, sabe quem é o Juan Gabriel. Mas, caso não tenha assistido (ou não se lembre), tá aí a chance de conhecer a voz desse que sempre será um ‘de los grandes‘ lá do México! (¡Arriba!)

Confira a programação completa do Festival Viña 2017

Y además…

Te dejamos con el video de la conferencia de prensa con el dúo Camila

Desenvolvido em WordPress & Tema por Anders Norén