Calle Hispánica

Um passeio pela cultura em espanhol

Mês: outubro 2017

Vacaciones: Calle no México!

Oi, gente! 🙂

Até o mês de novembro, vamos dar uma pequena pausa nas postagens aqui no blog, por um motivo justo, justíssimo. ¡Estoy de vacaciones! 😍🎉.

Mas, “prestenção”, gente: O blog vai dar uma parada, mas a Calle estará mais hispânica que nunca e, literalmente, por las calles. Isso mesmo! Passarei as férias no meu amadíssimo México (❤) e pretendo trazer un chorro de conteúdo 😃.

Durante essa pausa aqui no blog, convido vocês a virem comigo, pelo Instagram da Calleen ese viaje! 🛫🌎👣📸

E em novembro, voltamos com a nossa programação normal! 😜 rs

E então? Bora conhecer a terra da Maria do Bairro? 😉

Gostou da Calle Hispánica e não quer perder nenhuma postagem? Então, curta a Fan Page no Facebook e siga a Calle no Instagram! 😉

Espanhol: 5 músicas para aprender vocabulário 🙂

Conhecer novas palavras e engordar nosso vocabulário é uma das partes mais legais quando o assunto é aprender um idioma, não é mesmo? 🙂

Nesse mar de músicas em espanhol, algumas têm o poder de nos trazer un chorro de nuevas palabras em apenas alguns minutos! 😍

E o post de hoje é justamente sobre isso! 5 canciones com uma variedade incrível de palavras para bombar nosso vocabulário hispânico ❤.

Dica: Vale analisar BEM essas letras! Algumas delas vão além do significado literal das palavras, constituindo um jogo de sentido muito interessante e rico do ponto de vista semântico! Por isso, vou deixar, além dos vídeos, as letras completicas, ¿vale? 😉

Então, bora lá! 🎧

No Es Lo Mismo – Alejando Sanz 

Eres tanta gente, que dime
¿Con quién hablo ahora?
¿No ves que no sois iguales?
Eres la de quédate conmigo
Prometo darte tormento, darte malos ratos
Yo te prometo si me escuchas niña, darte arte
Que no es lo mismo que quédate y ya veremos
Quédate y ya veremos

No es lo mismo ser que estar
No es lo mismo estar que quedarse, ¡qué va!
Tampoco quedarse es igual que parar
No es lo mismo
Será que ni somos, ni estamos
Ni nos pensamos quedar
Pero es distinto conformarse o pelear
No es lo mismo, es distinto

No es lo mismo arte que hartar
No es lo mismo ser justo que ¡qué justo te va! (Verás)
No es lo mismo tú que otra, entérate
No es lo mismo
Que sepas que hay gente que trata de confundirnos
Pero tenemos corazón que no es igual
Lo sentimos, es distinto

Vale
Que a lo mejor me lo merezco, bueno
Pero mi voz no te la vendo, puerta
Y lo que opinen de nosotros
Léeme lo labios, yo no estoy en venta

Vale
Que a lo mejor lo merecemos, bueno
Pero la voz no la vendemos, puerta
Y lo que opinen de nosotros
Léeme lo labios, a mí me vale madre

Puerta y aire que me asfixio
Que no se trata del lado que quieras estar
Que estar de un lado o echarte a un lado, verás
No sé cómo decirte, no es lo mismo
Vivir es lo más peligroso que tiene la vida
Que digan por televisión que hay suelto un corazón
Que no es igual que es peligroso, que es distinto

No es lo mismo basta o bastar
Ni es lo mismo, decir, opinar, imponer o mandar
Las listas negras, las manos blancas verás
No es lo mismo
No gana el que tiene más ganas, no sé si me explico
Que hoy nadie quiere ser igual
Que más te da, no es comunismo
Es instinto

Vale
Que a lo mejor me lo merezco, bueno
Pero mi voz no te la vendo, puerta
Y lo que opinen de nosotros
Léeme lo labios, yo no estoy en venta

Vale
Que a lo mejor lo merecemos, bueno
Pero la voz no la vendemos, puerta
Y lo que opinen de nosotros
Léeme lo labios, a mí me vale madre

Tengo
Pomada pa’ to’ los dolores
Remedio para toda clase de errores
También recetas pa’ la desilusión

Tengo
Pomada pa’ to’ los dolores
Remedio para toda clase de errores
También recetas pa’ la desilusión (desilusión)

Vale
Que a lo mejor lo merecemos, bueno
Pero la voz no la vendemos, puerta
Y lo que opinen de nosotros
Léeme lo labios, yo no estoy en venta

Vale
Que a lo mejor lo merecemos, bueno
Pero la voz no la vendemos, puerta
Y lo que opinen de nosotros
Léeme lo labios, a mí me vale madre

Tengo
Pomada pa’ to’ los dolores
Remedio para toda clase de errores
También recetas pa’ la desilusión

Tengo
Pomada pa’ to’ los dolores
Remedio para toda clase de errores
También recetas pa’ la desilusión

Vale
Que a lo mejor lo merecemos, bueno
Pero la voz no la vendemos, puerta
Y lo que opinen de nosotros
Léeme lo labios, yo no estoy en venta

Vale
Que a lo mejor lo merecemos, bueno
Pero la voz no la vendemos, puerta
Y lo que opinen de nosotros
Léeme lo labios, a mí me vale madre

Tengo
Pomada pa’ to’ los dolores
Remedio para toda clase de errores
También recetas pa’ la desilusión

Tengo
Pomada pa’ to’ los dolores
Remedio para toda clase de errores
También recetas pa’ la desilusión

Vale
Que a lo mejor lo merecemos, bueno
Pero la voz no la vendemos, puerta
Y lo que opinen de nosotros
Léeme lo labios, yo no estoy en venta

Vale
Que a lo mejor lo merecemos, bueno
Pero la voz no la vendemos, puerta
Y lo que opinen de nosotros
Léeme lo labios, a mí me vale madre

La Bilirrubina – Juan Luis Guerra 

Oye me dio una fiebre el otro día
Por causa de tu amor cristiana
Que fui a para a enfermería
Sin yo tener seguro e’ cama
Y me inyectaron suero de colores, hey
Y me sacaron la radiografía
Y me diagnosticaron mal de amores, uh
Al ver mi corazon como latía

Oye me patearon hasta el alma
Con rayos X Y cirugía
Y es que la ciencia no funciona
Solo tus besos vida mía
Ay, negra mira, búscate un catete, hey
Inyectame tu amor como insulina
Y dame vitamina de cariño, eh
Que me ha subido la bilirrubina
Ay

Me sube la bilirubina
(Ay, me sube la bilirrubina)
Cuando te miro y no me miras
(Ay, cuando te miro y no me miras)
Y no lo quita la aspirina
(No, suero con penicilina)
Es un amor que contamina
(ay, me sube la bilirrubina)

Ay, negra búscate un catete, hey
Inyectame tu amor como insulina
Vestido tengo el rostro de amarillo, eh
Y me ha subido la bilirrubina

Ay

Arrasando – Thalia

Arrasando oye papi damelo todo
Que sube que baja que no se que pasa
Que la condición humana va acabando con la raza
Cuando triunfas en la vida va creciendo mas la envidia
Vas sintiendo cuando subes que te dan zancadillas
No sabes que los lobos están a tu lado
Pues les va de maravilla, la apariencia mas sencilla
Nunca faltan los gorrones para ir de reventones
Mas cuando los necesitas, no les ves ni los talones
Son tantos los celos que me hacen cosquillas
Que si engordo, que si enflaco, que si no tengo costillas
Hoy tengo respuesta a cualquier encuesta
Pues yo sigo caminando y también sigo arrasando

Arrasando con la vida
Cosechando la alegría
No hay obstáculo que me impida
Disfrutar de un nuevo día
Arrasando con lo bueno
Desechando todo lo malo
No hay oscuridad que cubra
Esta luz que en mi deslumbra

Parece que somos armas mortales
Pues sin miedo mutilamos sentimientos naturales
Destrozamos la alegría, acabamos con la vida
Sabotajes para el alma, tropezones y apatía
Juzgamos a todos los que encontramos
Destrozamos sus creencias y evadimos sus razones
Que si es guapo, pues es gay, que si es rico es del cartel
Que si es joven y es muy bella la cuchilla estuvo en ella
Estamos entrando a un nuevo milenio
Pretendamos concentrarnos en lo que haré nuestro cuerpo
Somos jovenes fuertes y también inteligentes
En el alma ir concentrando lo que el día va arrasando

Arrasando con la vida
Cosechando la alegría
No hay obstáculo que me impida
Disfrutar de un nuevo día
Arrasando con lo bueno
Desechando todo lo malo
No hay oscuridad que cubra
Esta luz que en mi deslumbra

Mirando hacia atrás aprende el legado
De personas que han dejado una huella en el pasado
Einstein, DaVinci, Neruda y la Malinche
Los Aztecas y Toltecas y también los Zapotecas
Napoleon conocido como estratega
A Cleopatra no le importa en el amor la entrega
Gandhi, Lutero y Madre Teresa
Aunque pasen muchos años se hablara de su entereza
Lady Diana princesa de corazones
Y una Eva que ha pecado y nos jala con sus acciones
Luther King, Malcom X, personajes de la fe
Que la historia va dejando pa’ que sigan arrasando

Arrasando con la vida
Cosechando la alegría
No hay obstáculo que me impida
Disfrutar de un nuevo día
Arrasando con lo bueno
Desechando todo lo malo
No hay oscuridad que cubra
Esta luz que en mi deslumbra

Quédate Con ella –  Natalia Jiménez 

Vuelves borracho al amanecer
Sé que has dormido con esa mujer
Lo echaste a perder
¿qué tendrá ella que no tenga yo?
Si tu casita es un nido de amor
Ya sé lo que pasó
Yo no plancho, ni barro
Ni voy por cigarros, ni tiendo la ropa
Ni lavo cacharros
Que otra aguante este maltrato
Ya no puedo más
Quédate con ella ay, ay, ay
Porque es muy obligada ay, ay, ay
Que planche tus camisas
Que te acompañe a misa
Que te haga las tostadas
Quédate con ella ay, ay, ay
Ya vete pa’ su casa ay ay, ay
Y pídele paella
Pa’ ver si a ella
El arroz se le pasa
El mal de ojo de algo me sirvió
Ahora que la segunda apareció
De ti me salvo yo
Yo no plancho, ni barro
Ni voy por cigarros, ni tiendo la ropa
Ni lavo cacharros
Que otra aguante este maltrato
Ya no puedo más
Quédate con ella ay, ay, ay
Porque es muy obligada ay, ay, ay
Que planche tus camisas
Que te acompañe a misa
Que te haga las tostadas
Quédate con ella ay, ay, ay
Ya vete pa’ su casa ay ay, ay
Y pídele paella
Pa’ ver si a ella
El arroz se le pasa
Si regresas, por mí
Te lo juro, te mato
Te quemo la ropa. El reloj, los zapatos
No merezco este maltrato
Ya no puedo más
Quédate con ella ay, ay, ay
Porque es muy obligada ay, ay, ay
Que planche tus camisas
Que te acompañe a misa
Que te haga las tostadas
Quédate con ella ay, ay, ay
Ya vete pa’ su casa ay ay, ay
Y pídele paella
Pa’ ver si a ella
El arroz se le pasa
Te irá mejor con ella
Tragando paella
Y limpiando la casa

Morenamía – Miguel Bosé

Morena mía
Voy a contarte hasta diez
Uno es el sol que te alumbra
Dos tus piernas que mandan
Somos tres en tu cama, tres
Morena mía
El cuarto viene después
Cinco tus continentes
Seis las medias faenas
De mis medios calientes.
Sigo contando ahorita
Bien, bien, bien, bien, bien

Morena mía
Siete son los pecados cometidos
Suman ocho conmigo
Nueve los que te cobro
Más de diez he sentido…

Y por mi parte sobra el arte
Lo que me das, dámelo, dámelo bien
Un poco aquí y un poco ¿a quién?
Cuando tu boca, me toca, me pone y me provoca
Me muerde y me destroza
Toda siempre es poca y muévete bién
Que nadie como tú me sabe hacer café.

Morena agata, y me mata, me mata y me remata
Vamos pal infierno, pon que no sea eterno
Suave y bien, bien
Que nadie como tú me sabe hacer café
Pero cuando tu boca, me toca, me pone, me provoca
Me muerde y me destroza
Toda siempre es poca y muévete bien, bien, bien
Que nadie como tú me sabe hacer….uff café.

Morena mía
Si esto no es felicidad
Que baje Dios y lo vea
Y aunque no se lo crea
Esto es gloria…
Y por mi parte pongo el arte, lo que me das,
Dámelo y dalo bien
Un poco así y un poco ¿a quién?
Pero cuando tu boca, me toca, me pone y me provoca,
Me muerde y me destroza
Toda siempre es poca y muévete bien
Que nadie como tú me sabe hacer café.

Morena agata, y me mata, me mata y me remata
Vamos pal infierno, pon que no sea eterno
Suave bien bien, que nadie como tú me sabe hacer café

Y es que cuando tu boca, me toca, me pone, me provoca
Me muerde y me destroza
Toda siempre es poca y muévete bien, bien, bien
Que nadie como tú me sabe hacer..uff café.

Bien, bien, bien, bien, bien, bien…
Bien, bien, bien, bien, bien, bien…
Bien, bien, bien, bien, bien, bien… Café…
Bien, bien, bien, bien, bien, bien… Café…
Bien, bien, bien, bien, bien, bien… Café…

Confira também: Artistas não hispânicos que mandam bem cantando em espanhol

Gostou da Calle Hispánica e não quer perder nenhuma postagem? Então, curta a Fan Page no Facebook e siga a Calle no Instagram! 😉

45 fatos sobre mim, relacionados ao universo hispânico! ❤

Oi, gente! 🙂

Conforme já falei (várias vezes rsrs) aqui no blog, o espanhol faz parte da minha vida desde que ouvi Corazón Partío, na novela Torre de Babel. Já naquele momento, me apaixonei por esse idioma (e também pelo Ale, Alejandro rs ❤).

E, aproveitando que hoy es mi cumple, resolvi fazer essa postagem e compartilhar com vocês 45 fatos sobre mim, relacionados a esse universo hispânico, que a gente AMA!

Então lá vai! 😜

1) A sonoridade do espanhol é, sem dúvidas, o que eu mais amo nesse idioma! Pra mim, hablar es pura magia! ✨

2) Uma “amiga” já se afastou de mim por causa do espanhol 😮. Entramos juntas no curso e, logo após a aula experimental, os pais dela a obrigaram a fazer inglês porque, de acordo com eles, o inglês é que seria relevante para o futuro. Ela, então, me pediu para também mudar de curso 😶.

Claro que eu não quis! E ela ficou TÃO #chateada, que se afastou de mim.

Obs.: Dica para xs amigxs, parentes e crushs: NUNCA me façam escolher entre vocês e o espanhol 😜 rsrssrsrs.

3) Estudei espanhol a vida inteira no CCAA. Fiz os três níveis do curso regular (básico, intermediário e avançado), depois mais um ano do curso chamado “Mesp” (de Más Español), que seria um avançado do avançado rsrs.  Já no finzinho do Mesp, participei de uma seleção para dar aulas nas duas unidades da Barra da Tijuca, lá no RJ. Passei e trabalhei como professora por 1 ano e meio.

4) Em 2010 eu me formei em jornalismo e comecei a trilhar o caminho dos concursos públicos. Quem é ou já foi concurseiro sabe bem o que essa escolha exige de nós. Como é preciso estudar (e muito!) cada uma das zilhões de matérias, precisei me afastar um pouco do espanhol para me dedicar 100% ao meu objetivo.

Essa caminhada se estendeu até 2015, quando fui aprovada no concurso da Secretaria de Saúde de Minas. Uma vez alcançado meu objetivo, a primeira coisa que fiz foi trazer o espanhol de volta à minha vida e com carga total! Rsrsrs A Calle é um claro reflexo desse empenho em viver a Língua de Cervantes.

E nunca mais fico sin hablar!

5) Muita gente me pergunta por que fiz Jornalismo e não Letras. Escolhi o jornalismo como graduação porque também é uma paixão na minha vida. Pra mim, ser jornalista é traduzir discursos e compartilhar conhecimento. E eu, simplesmente, AMO isso! Se esse conhecimento estiver relacionado ao espanhol, então?! E, justamente por essas duas paixões que nasceu a Calle hispánica 😃.

6) Escolhi esse nome para blog porque, desde que encontrei o espanhol, realmente é como se eu estivesse todos os dias passeando por uma calle hispánica. Sempre buscando conhecer um artista diferente, uma música nova, mais uma novela, mais cultura, mais espanhol ❤.

7) Minha postagem preferida aqui da Calle é a que fiz sobre a Frida Kahlo, com a entrevista da Martha Zamora, biógrafa da Frida. A Martha é buenísima gente, foi muito gentil comigo e respondeu às minhas perguntas com toda atenção do mundo. Além disso tudo, a paixão com a qual ela fala sobre o seu trabalho é contagiante. Reforçou minha crença mais forte de que sonhos são possíveis e devemos teimar (MUITO) em fazer o que amamos 🙂.

➡ Frida Kahlo: Muito mais que sobrancelhas marcantes 

8) Eu sou mexicana de alma. Sério. Seríssimo. Soy total y completamente apasionada por México ❤. Tenho uma conexão sem igual com esse país e sempre digo que vivi, no mínimo, umas 49 vidas na terra da María la del Barrio 🇲🇽 rs.

9) Aliás, amo todos os sotaques da Língua Espanhola, mas o mexicano… 😍 (Sim, é o meu favorito! rs)

10) Sobre Alejandro Sánchez Pizarro, ou, para o mundo, Alejandro Sanz: Ele é, simplesmente, um dos artistas mais completos que conheço! No início dos meu estudos, eu só conhecia Corazón Partío. Mas, graças à minha professora de espanhol Elaine Candela (que já era apaixonada por ele e, inclusive me emprestou o CD MTV unplugged), conheci outras músicas e descobri el tremendísimo cantautor que es él!

11) E ainda falando no Ale, Alejandro… Sim, Corazón Partío é a música mais bonita do mundo! ❤

12) Já assisti a cerca de 80 novelas latinas (Sim, eu contei! 😜).

13) A primeira foi Carrossel, apresentada pelo SBT em 1991. Minha irmã e eu não perdíamos um capítulo! rs

14) Hoje em dia, assistir a telenovelas latinas é, de longe, minha forma preferida de praticar espanhol! 📺

15) Dentre todas as que já vi, a minha favorita é Café Con Aroma de Mujer. Um dos melhores enredos e com conflitos de fôlego que não deixam o público cansar ou enjoar da trama. Amo!

16) E mesmo quando eu não gosto da novela, continuo vendo! Não consigo abandonar no meio da caminho! Não sei explicar o que acontece, meu povo, mas eu sigo firme e forte 😆.

17) A que menos gostei foi a venezuelana Toda Una Dama. Fraquíssima, personagens aburridos e com uma histór…😴💤💤.

18) Minha personagem favorita é, justamente, a Gaivota, de Café con Aroma de Mujer. Sabe aquela mocinha boazinha, que passa a novela INTEIRA chorando por el príncipe azul e, num dado momento, recebe uma baita herança, por obra e graça do destino?! Então! ¡La Gaviota no tiene NADA de eso! Ela sofre sim, afinal, é uma novela latina, né?! Mas ela é forte, decidida, empoderada… Não fica esperando o mocinho voltar e vai trilhando seu próprio caminho com muita determinação, inteligência… y aguardiente 😆.

Sério! Ela é uma das personagens que, de verdade, me inspiram. Se vocês ainda não conhecem a Gaivota, eu recomendo demais! 😉

19) Minha atriz hispânica favorita é a maravilhosa Silvia Navarro. Ela vai da comédia ao bom e velho drama mexicano sem perder o brilho! ✨

20) O ator favorito é o Guy Ecker. Brasileiro (natural de São Paulo), ele protagonizou grandes sucessos da TV latina, como Café con Aroma de Mujer e La Mentira.

21) E se a minha vida fosse uma novela mexicana, ela se chamaria… La muy mexicana, la muy atrevida 😜

22) Com a Calle , tenho me esforçado para ler mais a literatura hispânica. E, como boa amante de novela mexicana que sou, minha escritora FAVORITA de la vida é Caridad Bravo Adams. Muitas das telenovelas com o selo “Televisa” são adaptações de histórias originais suas.

23) Mas, dentre os livros hispânicos que li recentemente, La Mujer Habitada, da nicaraguense Gioconda Belli, foi o que mais mexeu comigo. Quero muito ler outras obras dela!

 Resenha: A Mulher Habitada, de Gioconda Belli

24) Minha frase preferida em espanhol é “Pies, ¿para qué los quiero, si tengo alas pa’ volar?”, da super Frida Kahlo 💜.

25) A música La Playa, do grupo espanhol La Oreja de Van Gogh, é que mais tenho ouvido no momento. Já ouvi mais 100 no Spotfy a versão (MARA!), que conta com a participação do Leonel García, da dupla Sin Bandera 🎶.

26) E por falar em Sin Bandera, alguém me dá um chá de “Aceita que dói menos”, porque meu ❤ não está sabendo lidar com a separação dessa dupla! 😭 E o pior! Vão se separar sem que eu tenha ido a um show deles 💔.

Mas, seguindo… eles são minha dupla FAVORITA e a música que mais amo (é MUITO difícil escolher só uma, mas lá vai!) é Que me Alcance la vida ❤

27) E nesse universo hispânico, há algo que não me agrade? 🤔 Sim! Sim?😮 Siiiimm! rsrs E o nome dele é Maluma. Gente, esse rapaz tem algumas músicas que, sinceramente…

Dica: apenas joguem na internet “Maluma machista”. Definitivamente, é o artistas que não faz parte da minha playlist 🙉.

28) No terreno dos esportes, curto demais o Lionel Messi! ⚽

29) Dia 17 de outubro de 2010, Rio de Janeiro. Esse foi um momento INESQUECÍVEL na minha vida 😍 Meus amigxs, nesse dia eu vi e OUVI o cara das “tiritas” cantar Corazón Partío, bem ali na minha frente! (Inclusive, acho que ele já pode voltar ao Brasil!). Na época, estava mega enrolada, terminando o trabalho final da faculdade. Mas larguei tudo para encontrá-lo! 😍 (Ainda bem que passei! 😄)

A imagem pode conter: 1 pessoa, no palco

30) Minha meta profissional é, sem dúvidas, entrevistar o Alejandro Sanz.

31) Para me agradar basta… “Nossa, seu espanhol é lindo!” 😜.

32) “Espanhol é fácil. Eu entendo tudo, só não falo” – Eis a fórmula mágica para acabar com a minha paciência! 😖

33) Ah! E eu fico bem brava quando dão mais visibilidade a uma versão em inglês da música originalmente em espanhol de algum artista hispânico. Ah, gente… pra quê?! 😠

34) Minha palavra favorita em espanhol é corazonada. (Mas eu também amo a palavra apapachar 💞)

35) E a expressão que eu mais gosto é “¿Quién te ha dado vela en este entierro?”, que, a grosso modo, equivaleria ao nosso “quem te chamou na conversa”, usado para cortar as asinhas de quem estiver se metendo onde não foi chamado 😆

36) Mas, se eu tivesse que definir o espanhol em uma palavra, seria “pulsante” (como un corazón 💓).

37) Sempre faço e refaço exercícios sobre o uso dos pronomes Le/Les, porque acho um ponto bem delicado do idioma 😥.

38) Quase não encontro quem curta, mas eu sou APAIXONADA pela musica mariachi. Sério! Ouçam o Vicente Fernández cantando Me Voy a Quitar de en Medio e vejam que preciosidade da cultura mexicana ❤

Obs.: Se você também ama esse estilo de música, QUERO ser sua amiga! rsrsrsrs 🙂

39) Meu sonho é conhecer todos os países que falam espanhol! 🛫🌎💛

40) Adoraria tirar uma selfie com a Thalia e ainda pediria a ela para cantar Piel Morena (a minha favorita dela! 🙂)

41) Mas, se fosse para salir y tomar unos tragos, aí seria com a Kate Del Castillo, que interpreta a primeira dama babadeira de Ingobernable. Adoro a Kate! rsrs

42) Uma das vozes femininas mais intensas que conheço é da Alejandra Guzman. Confiram👂:

43) Acho que a  Selena Quintanilla é, na verdade, um fenômeno da natureza. Ela nasceu nos Estados Unidos, mas era filha de pais mexicanos. Morreu aos 23 anos e no auge da carreira, assassinada pela sócia e presidente do seu fã-clube 😭. Mas, até hoje, ela é considerada a rainha da música texana. E o mais incrível: Sua legião de fãs só aumenta!

44) Passaria um dia inteiro assistindo a esse vídeo ⬇ Acho incrível o público cantando e o vozeirão do Luis Miguel (mesmo bem longe do microfone! 🗣🎙rs). Enfim… Não há como não se render a essa canção 💘.

45) “Si alguna vez te pierdes, solo mira dentro” – Esse trecho da música Mira Dentro, do grupo espanhol Maldita Nerea, é o meu lema da vida! ❤

Ufa! Acho que para este 5 de outubro, é isso 🤔 rs. As outras coisas, eu te conto nos próximos passeios pela Calle 😉.

Gostou da Calle Hispánica e não quer perder nenhuma postagem? Então, curta a Fan Page no Facebook e siga a Calle no Instagram! 😉

Desafio Literário: Resenha de Bodas de Odio, de Caridad Bravo Adams

Dando check-in no primeiro mês de desafio literário, concluí a leitura de Bodas de Odio, escrito em 196, pela escritora mexicana Caridad Bravo Adams ✅.

Lembrando que para esse mês de setembro, o tema foi “Um livro que tenha sido adaptado para a TV” 📺.

Bodas de Odio virou novela nada menos que TRÊS vezes. A primeira em 1983, adotando o mesmo nome do livro, depois em 2003, com Amor Real, e mais recente, em 2013, com Lo que la Vida me Robó.

Mas, vamos ao livro! 🤓📚

Enredo

A história se passa no final do século XIX, nos tempos da Rússia czarista.

Lisaveta Kerloff é uma jovem aristocrata, porém de família falida 👎💸. Apaixonada (e correspondida) pelo tenente Fedor Mikailovich, ela tenta conseguir do pai, o coronel Ivan Petrovich Kerloff, permissão para se casar com o amado.

E se dependesse só do pai, Lisa tava bem na história. Mas, o problema é que no meio do romance tinha uma mãe ambiciosa, uma mãe ambiciosa tinha no meio do romance. E essa é Paula Petrovna.

A megera (ela é uma megera, gente! rs), percebendo as intenções de Lisa para com o humilde tenente, consegue, com ajuda do filho mais velho, Dimitri, tecer uma teia de intrigas e conspirações para separar a filha e o jovem. E tudo isso porque Paula já tinha em vista, aquele que, de acordo com ela, seria la pereja ideal para su hija.

Alejandro Kareline: Solteiro, milionário e príncipe. Esse era o cara! E para sorte de Paula, ele se apaixona por Lisa já no primeiro encontro e, acreditando nas mentiras da megera, acredita ter chances com a jovem.

Para complicar o enredo, o pai de Lisa fica muito doente e sua mãe passa a utilizar o estudo de saúde do coronel para coagir a filha a aceitar se casar com o príncipe e garantir a boa reputação da família Kerloff.

—En efecto, es espantoso que los hijos no comprendan a veces cuál es su deber, Lisaveta! Él, muriéndose por ti, pensando en que quedarás arruinada, con el nombre manchado y que no habrá hombre que se acerque a ti… y tú, en cambio, no puedes darle ni el gusto de ser amable con Kareline. Tengo entendido que Iván te ha pedido más de una vez que seas gentil y cortés con él.

—Así lo haré, mamá —prometió con vehemencia la joven”.

Lisa se sentia muito incomodada com as gentilezas de Alejandro, afinal, ela amava Fedor. No entanto, as esperanças da jovem com relação ao amado se desvaneciam pouco a pouco.

Em meio a tantas intrigas e estratagemas, a verdade é que Fedor marca bobeira e, graças às armações de Paula e Dimitri, acaba perdendo terreno na vida de Lisaveta.

Resumindo, gente: A megera tanto faz que consegue enganar a filha e o príncipe, com o objetivo de casá-los, salvar a família Kerloff da ruína e, de quebra, garantir a sua boa vida. E como ela faz isso? “Prestenção”: Ela convence a filha de que Alejandro sabe toda a verdade sobre seus sentimentos, mas, ainda assim, deseja se casar com uma jovem da aristocracia apenas para melhorar sua reputação enquanto príncipe.

Por outro lado, Paula convence a Alejandro de que Lisa sim o ama, mas é uma jovem caprichosa, que ainda não sabe lidar com os sentimentos e expressá-los da forma adequada. (Falei pra vocês que ela era uma megera 😝 rsrs)

E casar, eles casam. Maaaaas, no dia de la fieta de matrimonio, todas as mentiras são descobertas, Alejandro descobre a existência de Fedor, Lisa fica sabendo que o príncipe estava crente que ela o amava… enfim. Foi babado, confusão e gritaria!

E a partir daí, a história começa uma nova etapa. Lisa odiando (ou achando que odiava) o marido. Alejandro querendo odiar (mas, na verdade, muitíssimo apaixonado) por lisa. ¡Ese es el drama que me gusta! Jejeje

Nessa fase, Paula Petrovna sai de cena, mas nem por isso a vida de Lisa fica mais tranquila e favorável. Isso porque chega Natacha Maslova, com sua paixão platônica por Alejandro. E aí temos mais intrigas, mais armações e mais tretas até os capítulos finais.

Vale a leitura? 🤔

Como boa amante de telenovelas mexicanas, sou suspeita para falar. Mas, aí vai meu parecer: Vale! 🙂

Caridad Bravo Adams é uma verdadeira mestra dos argumentos bem costurados e o resultado desse talento é que ficamos presos, atados e amarrados à história ATÉ-O-FIM. Especificamente no caso de Bodas de Odio, a história toma caminhos bem inesperados, dando aqueles sustinhos na gente durante o percurso da leitura (😮😰😧). E isso é ótimo porque deixa a narrativa mais viva e dinâmica.

No entanto, sem sobra de dúvida, o ponto forte da obra é a intensidade. A boa e velha intensidade mexicana que eu simplesmente AMO! ❤

Emoções à flor da pele e sentimentos bem definidos. Trata-se de um romance sim, mas não um romance água com açúcar e cor de rosa. Eu diria que é um romance sacudido e cheio de reviravoltas!

“— Lo que tengo que reprocharte es que no hayas sido franca… ¿Qué necesitabas para salvar a tu padre? ¿Un puñado de rublos? ¡Los hubiera dado con placer, sin necesidad de engaños y farsas!

– ¡Yo no los hubiera aceptado como una limosna! —replicó ella, desafiante también.

Corrió, escaleras arriba. Alex quedó inmóvil, con los puños apretados. Su ira se disolvió en dolor y pensó con angustia:

– ¡Odio, sólo odio puede haber entre nosotros dos!”

Então, meus amigxs, para quem curte esse estilo de narrativa regada à emoção, fica a dica! Caridad Bravo Adams é A MESTRA! rsrsrs

➡ Leitura: Desafio literário à la Calle Hispánica

Gostou da Calle Hispánica e não quer perder nenhuma postagem? Então, curta a Fan Page no Facebook e siga a Calle no Instagram! 😉

Desenvolvido em WordPress & Tema por Anders Norén