Calle Hispánica

Um passeio pela cultura em espanhol

Mês: dezembro 2017

Guia Calle Hispánica: 5 coisas que ninguém te conta sobre a Cidade do México

Já temos muitas informações sobre a Cidade do México aqui no Blog, correto?! Maaas, quando se trata da terra da Maria do Bairro, acreditem, sempre há mais o que falar! 🇲🇽 😍

E hoje, nós vamos contar, justamente, o que ninguém conta sobre a Cidade do México. Alguns hábitos, regras e/ou aspectos da cultura e do povo mexicano que você precisará levar em conta para aproveitar sua viagem ao máximo! 💜

Confira! 🙂

1) A que horas a cidade acorda?

Bem diferente do Brasil, pode-se dizer que a vida no DF começa a partir das 10h. Durante nossa temporada por lá, nós saímos quase sempre por volta das 9h30 de casa e o que víamos eram lojas ainda abrindo e o movimento de pessoas pelas ruas um pouco mais fraco. Ou seja, a cidade apenas despertandose. Por isso, desde mi punto de vista, não vale muito a pena sair de casa antes das 9h, porque vocês não vão encontrar muito o que fazer 😜 rsrs.

2) Tá claro ainda!

Quando fomos à cidade do México, em outubro, o horário de verão não estava em vigor, mas, ainda assim, o que nos chamou a atenção foi a duração mais longa do dia! Então, pode ficar tranquilo porque às 19h ainda é dia! 🌞

Por volta desse horário, o céu ainda está bem claro, praticamente o comércio inteiro aberto e as ruas fervilhando vida por todos lados! 💓 rs

3) Moeda do Tio Sam

Em muitos lugares é possível comprar em dólar. Alguns estabelecimentos ainda perguntam se você prefere o troco também em dólar ou em pesos mexicanos.

Então, vale deixar uma quantia na moeda do Tio Sam 😜.

4) La Paquetería

Um costume que nos incomodou BASTANTE lá é a questão da vigilância dentro de lojas e supermercados. Praticamente TODOS os estabelecimentos possuem a chamada “paquetería”, que seria o nosso “guarda-volume”. O grande problema é que nessa mesma paquetería quase sempre tem um aviso de que a loja não se faz responsável pelos objetos de valor contidos em bolsas, sacolas e mochilas deixadas ali. Ou seja: Eles não nos permitem entrar com a bolsa, mas, ao mesmo tempo, não se consideram responsáveis caso algum objeto de valor desapareça.

Como tínhamos objetos de valor na mochila e não podíamos arriscar deixar nossos pertences onde ninguém se responsabilizaria por eles, o que minha amiga e eu fizemos para evitar a paquetería em alguns lugares, como supermercados, foi combinar de uma ficar do lado de fora com as mochilas, enquanto a outra entrava só com a carteira para comprar o que era preciso 😐.

5) E tem mais!

Nas lojas que não apresentam a paquetería, é preciso abrir a bolsa e mostrar seu conteúdo aos seguranças. Sim, gente, é isso mesmo. Minha amiga, que entrou numa loja para comprar uma blusa, precisou, na saída, mostrar a sacola e ainda a nota que comprovava o pagamento da peça.

Confira também: Guia Calle Hispánica: Roteiro de 5 dias na Cidade do México

Gostou da Calle Hispánica e não quer perder nenhuma postagem? Então, curta a Fan Page no Facebook e siga a Calle no Instagram! 😉

Papá a Toda Madre: Televisa traz reflexão social para sua nova produção

À primeira vista, Papá a Toda Madre é mais uma novela açucarada e com um certo ar infantil, com direito a romance, intrigas menos densas, mocinhos, vilões mais leves, encontros e desencontros.

A produção da Televisa, que teve início em 22 de outubro, conta a história de Maurício (interpretado por Sebastián Rulli), um playboy dono de uma das maiores fabricantes de brinquedos do país.

O empresário vê sua vida mudar complemente ao receber duas notícias: que é pai de Anifer, de 7 anos, e que seu negócio está a ponto de falir (o Mauricinho gasta, minha gente! 😆 rs).

Já Maite Perroni interpreta René, o par romântico do empresário atrapalhado.

No entanto, com o passar dos capítulos, o enredo que vai tomando forma é de uma história bem diferente das que estamos habituados a ver, especialmente quando se trata de Televisa.

Indo bem além do romance novelesco, Papá a Toda Madre vem abordando de forma bem aberta temas como homossexualidade, feminismo e machismo. E tem mais: no desenrolar da história, o romance entre Maurício e René é só pano de fundo para discussões maiores e mais relevantes.

Com quase dois meses no ar, a novela surpreendeu o público e a imprensa ao trazer o primeiro beijo gay a ser transmitido no horário nobre.

Na cena, o agente Rodrigo e seu companheiro, Rafael, que acabaram de mudar para a vila onde vivem René e Maurício, dão um selinho diante dos novos vizinhos.

Confira a cena! 🙂

Sim, vocês até podem pensar que demorou para que isso acontecesse, afinal, já estamos em 2017! No entanto, vale destacar que:

*  Estamos falando da Televisa, a principal cadeia de redes de televisão do México que, por sua vez, é um país considerado católico e conservador;

* A novela é voltada também para o público infanto-juvenil, com muitos personagens nessa faixa etária e, até mesmo com um apelo visual bastante colorido e jovial.

E vale reforçar também que Papá a Toda Madre não deixa de abordar questões como preconceito e homofobia, por meio de personagens que não escondem seu incômodo com a relação homo afetiva de Rodrigo e Rafael. Mas, o interessante da novela é que, para cada um a dar demonstração de intolerância ou desrespeito, há outros 5 que não se calam diante dos absurdos.

Outro debate enriquecedor é sobre o papel da mulher e do homem na família, no trabalho e na sociedade.

Por exemplo, no caso dos personagens Verónica e Antonio Barrientos, dois engenheiros, casados e pais de Tania, Neto e Fidelito. Os dois trabalhavam na empresa de Maurício até perderem os empregos, devido ao corte de pessoal implementado na fábrica.

No momento de buscar uma recolocação no mercado de trabalho, Verónica sai na frente e consegue um emprego com ótima remuneração. Antônio, por sua vez, não tem o mesmo sucesso, mesmo tentando boicotar a esposa ao concorrer à mesma vaga.

Como não consegue um novo trabalho, ele se vê obrigado a ficar em casa, cuidando dos três filhos do casal e também realizando as atividades domésticas que antes eram menosprezadas por ele. Claro que essa situação bate em cheio em seu orgulho, mas, ao mesmo tempo o personagem começa a perceber que, ao contrário do que achava, cuidar dos filhos e de uma casa pode ser bem complexo e cansativo.

Enfim, chama muito a nossa atenção a forma como o enredo da novela vem desarrumando (lindamente!) aquele velho jogo de cartas marcadas, em que a mulher cuida da casa e dos filhos enquanto o homem é responsável por prover a família.

Por todas essas desconstruções positivas, fica a dica de novela para assistir (Papá a Toda Madre está disponível no YouTube!), refletir e, de quebra, praticar o espanhol!

Gostou da Calle Hispánica e não quer perder nenhuma postagem? Então, curta a Fan Page no Facebook e siga a Calle no Instagram! 😉

Guia Calle Hispánica: O que você NÃO deve fazer na Cidade do México

Já montamos um roteiro increíble e CHEIO de dicas sobre a Cidade do México, correto?!

➡ Guia Calle Hispánica: Roteiro de 5 dias na Cidade do México

Então, agora vamos falar sobre o que você NÃO deve fazer na terra da Maria do Bairro.

1) Não aproveitar a maravilha de metrô que há no DF e só andar de táxi;

Gente, o México tem uma linha de metrô incrível, que corta, praticamente, a Cidade toda, tornando-o muito acessível. Esse meio de transporte oferece mais duas vantagens BEM interessantes: O intervalo entre um e outro é bem curto (nem 5 minutos!) e o bilhete custa 5 pesos, valor que não chega nem a 1 realzinho, meus amigxs! Ou seja; você chega rápido a diferentes pontos da cidade e pagando pouco 😍.

Metrô mexicano

Mas, desde mi humilde punto de vista, o que vale mais na experiência de usar o metrô é viver de verdade o cotiado daquele povo 💚. O táxi pode ser necessário em alguns momentos, mas não abra mão de caminhar os passos dos nativos 😉.

2) Entrar no vagão misto do metrô em horário de pico;

Na Cidade do México, há um espaço na plataforma separado para mulheres e, geralmente, esse espaço fica um pouco mais vazio que os outros.

Eu usei esse meio de transporte tanto no horário de pico (por volta das 17h), quanto nos horários mais tranquilos e posso dizer com segurança a você, amiga, que entrar no metrô vai ser bem mais tranquilo se você estiver lá 🙂.

Os próprios mexicanos não recomendam (de jeito nenhum!) às mulheres usarem o vagão misto nos horários mais cheios. Entonces… vamos escutá-los, né não?! 😜

3) Usar roupas curtas;

É constrangedor recomendar isso, mas… estou aqui para trazer verdades 😐.

Durante o período em que estivemos na Cidade do México, acho que posso contar nos dedos as vezes em que vi mulheres usando roupas curtas ou muito justas. E as raras vezes em que vi, foi fácil perceber pelo sotaque que eram turistas, e não mexicanas.

Então, eu recomendaria atenção com essa questão 😉.

4) Encarar sozinho os pratos desconhecidos;

Se você estiver viajando acompanhado, na hora das refeições, lembre-se de pedir um único prato para que vocês possam provar antes.

Não podemos esquecer que as combinações da cozinha mexicana são diferentes das que encontramos na nossa verde e amarela. Por isso, é normal que estranhemos um pouco o sabor de alguns cardápios típicos.

A única vez em que minha amiga e eu não pedimos um prato para provar antes, literalmente jogamos dinheiro fora. Seguimos a recomendação do taxista, que falou maravilhas das enchiladas de mole e… 😥

Enchiladas de Mole

Como é possível ver na imagem, o carro-chefe do prato é o molho. E a questão é que, justamente o molho (esparramado por TODOS os lados) não nos agradou 😷. Pelo que entendi, ele pode ser preparado de diferentes formas, mas, normalmente leva ingredientes doces e salgados, como chocolate, canela, pimenta, entre outros (tudo junto e misturado no mesmo molho, entende?! 😕).

Enfim… No final das contas nós abrimos a massa, comemos o franguinho desfiado que havia dentro, pagamos a conta e levamos nossa fome para comer em outro lugar 😆.

Então, #FicaADica! 😜

5) Não se jogar no espanhol 

Não perca oportunidades de conversar com os mexicanos, pedir informações, ler avisos e sinalizações pelas ruas, mergulhar em rótulos de produtos, panfletos de lojas… Enfim! Jogue-se no espanhol e não sinta vergonha.

Os mexicanos são extremamente simpáticos e gentis. E quando falamos que somos do Brasil, então! Aí que eles puxam conversa 😆. Por isso, não deixe de aproveitar ao máximo essa chance de hablar muchísimo, combinado? 🙂

Confira também:

➡ México após 3 terremotos: Por que não adiei a viagem?

➡ Cidade do México: Quanto tempo ficar e qual a melhor região para se hospedar

Gostou da Calle Hispánica e não quer perder nenhuma postagem? Então, curta a Fan Page no Facebook e siga a Calle no Instagram! 😉

Desenvolvido em WordPress & Tema por Anders Norén