[SEM SPOILER, pode confiar 😉]

Eis que a primeira temporada de Luis Miguel, la serie chegou ao fim. A julgar pela repercussão na imprensa, pode-se considerar que o Sol do México, antes eclipsado, voltou a ocupar o seu já conhecido lugar de destaque.

E nem o período de eleições presidenciais no México pode reduzir o impacto da série no imaginário coletivo dos mexicanos.

Prometido e entregue

Os 13 capítulos da série, de fato, cumpriram o prometido à época do lançamento. Ou seja, jogar luz para além dos holofotes e compartilhar com o público os aspectos mais pessoais (sempre questionados, porém nunca respondidos) da vida do cantor.

Tudo indica que o único questionamento não respondido será, justamente, o gancho para a próxima temporada. Tod@s queremos acreditar nisso!

Eu já havia comentado aqui na Calle que a caracterização de Diego Boneta, ator escolhido para viver Luis Miguel, estava impecável. E esse fator já foi um ponto marcado a favor da série.

Afinal de contas, já que a proposta era contar a história do Sol do México, o primeiro quesito que deveria ser cumprido era encontrar alguém que, de fato, “vestisse” o cantor com verdade e comprometimento. Logo, esse prometido também foi entregue.

No entanto, o entregue que chegou sem prévio anúncio foi, sem dúvida, a atuação de Oscar Jaenada, intérprete de Luisito Rey, pai de Luis Miguel.

Ao longo dos episódios, o trabalho de Jaenada na construção de um personagem tão complexo é quase palpável. Suas expressões ganharam a internet, rendendo memes e marcando o domingo como dia internacional para odiar Luisito Rey! rs

Só eu gostaria de ter encontrado mais música na série?

Sim, a série teve muitos acertos. No entanto, as altas doses de carga dramática pesaram o clima na maior parte dos capítulos.

Sabemos que a proposta da produção era trazer à tona a verdade nua e crua sobre a vida do cantor. Mas, as músicas que ajudaram a construir o sucesso chamado Luis Miguel e que, por isso mereciam um papel de maior destaque em meio à trama, foram meras coadjuvantes.

Sem dúvidas, essa é a expectativa para o caso de uma segunda temporada da série (o que ainda não foi confirmado): um equilíbrio mais harmônico entre o drama e a música.

As próximas 48 horas serão decisivas

Conforme já mencionado, sim, a série cumpriu o prometido: reintroduziu o cantor no cenário musical, apresentando-o aos jovens e relembrando aos mais maduros os motivos pelos quais Luis Miguel é o artista com mais de CEM MILHÕES de discos vendidos EN EL MUNDO.

Mas, fazendo alusão a um médico que, após um longo procedimento cirúrgico, informa aos familiares que as próximas 48h do paciente serão decisivas, podemos considerar que Luis Miguel está atravessando exatamente esse período.

É fato que seu público seguiu fiel, mesmo após esse período de “eclipse” do Sol do México, em que ele retirou-se dos palcos e passou um longo tempo sem lançar novas músicas.

Prova dessa fidelidade é queem novembro de 2017 (ou seja, bem antes da série, que só teve início em abril de 2018), a música La Fiesta del Mariachi (do álbum ¡México por siempre!) alcançou logo de cara os primeiros lugares de venda no México, Estados Unidos, Espanha e América Latina.

➡ Ouça “¡México por Siempre!”, novo álbum de Luis Miguel

Dessa forma, as intervenções possíveis foram feitas e temos o seguinte cenário: álbum lançado, turnê em andamento e série concluída com sucesso.

No entanto, resta saber se as questões que vinham conturbando a vida pessoal e profissional do cantor foram superadas.

Então… e agora, Mickey?

Avaliação da Calle: Bueno

 

➡ 12 músicas do cantor Luis Miguel que não podem faltar na sua playlist

Gostou da Calle Hispánica e não quer perder nenhuma postagem? Então, siga a Calle no Instagram! 😉