Colômbia é a terra do Gabriel Garcia Márquez, do café (já teve até uma novela inteirinha sobre isso, inclusive!), do Juanes e, claro, dela…

No entanto, de onde veio ‘Shakira, Shakira!’ vêm muitos outros elementos e manifestações que representam a cultura colombiana no cenário global. E esse é o caso da cúmbia.

Ainda que por aqui, gêneros como salsa e merengue façam parte do repertório de casas de dança dedicadas à música latina, a cúmbia ainda é pouco conhecida no Brasil.

Sua origem de forma precisa é incerta, mas sabe-se que seu surgimento ocorreu na Colômbia, quando ainda era colônia espanhola. Mais que um ritmo festivo, as expressões características desse gênero musical ajudam a contar parte da história da região, que foi escrita a partir da fusão entre as culturas indígena, africana e espanhola.

O fato de ser o único ritmo a apresentar esses três ingredientes etnico-culturais seria a explicação para a popularidade da cúmbia em outros países da América Latina, como Peru, Bolívia, Chile, Argentina e Uruguai.

Em cada lugar onde chegou, a cúmbia misturou-se aos ritmos locais, sem perder a característica cadência.

Para entender melhor o papel que a cúmbia desempenha atualmente na cultura colombiana, a Calle Hispánica entrevistou Luis Daniel Vega, jornalista e diretor da Señal Cumbia, emissora online da Radio Nacional da Colômbia.

Luis Daniel explica que “desde as primeiras manifestações na Colômbia, a cúmbia passou por algumas transformações com o jazz dos anos 40, além de misturar-se ao rock e também aos ritmos cubanos que conquistaram espaço no México. Sofreu influência do estilo musical psicodélico do Peru e, recentemente, adentrou aos circuitos de música eletrônica comercial e experimental”.

Entre os clássicos do gênero musical que marcaram época, Luis Daniel destaca sucessos como ‘La pollera colora’ (considerada um segundo hino da Colômbia), ‘La Piragua’ e ‘Amaneciendo’.

Cumbia 24 horas

Ao longo dos anos, a cúmbia passou por transformações e manteve-se viva enquanto manifestação cultural. E com o objetivo dar mais visibilidade a esse gênero musical, entrou no ar em abril de 2016 a emissora Señal Cumbia, da Rádio Nacional da Colômbia.

“A Cúmbia se estabeleceu de forma sólida em muitos países da América Latina e também está presente no continente europeu. Levando esse peso cultural em consideração, a Rádio Nacional coloca ao alcance do público de todo o mundo a Señal Cumbia, emissora digital que transmite 24 horas por dia o cadencioso ritmo mestiço, em suas variações mais particulares”, explica Luis Daniel.

A programação da emissora não se restringe à cúmbia colombiana, abarcando também as variações do gênero por países, com as novas formas de jazz, rock, eletrônica e música tropical, onde a cúmbia, ainda que camuflada por outras influências, se faz presente.

Ainda de acordo com Luis Daniel, Señal Cumbia conta com um amplo repertório cumbiero, que vai desde a flauta de milho até a manipulação digital, passando pelas grandes orquestras, pela cumbia andina, pela tecnocumbia, pelo rock e pelos experimentos do jazz, atravessando não só o tempo, mas também diferentes gêneros.

E para quem planeja viajar à Colômbia, Luis Daniel dá algumas sugestões de lugares onde é possível não só encontrar a cúmbia, mas também viver essa tradição. “Os brasileiros podem visitar El Banco, em Magdalena, onde é celebrado anualmente o Festival Nacional da Cúmbia. San Basilio de Pelenque e San Jacinto, considerada a terra dos gaiteros, também são boas opções”.

Quer ouvir mais desse gênero musical? Acesse Señal Cumbia e se jogue nesse estilo!

Y además…

Te dejamos la entrevista completa con Luis Daniel Vega, director de Señal Cumbia 

Gostou do Calle Hispánica? Então, curta a Fan Page no Facebook e não perca nenhuma postagem!